Blues: um pouco de história…

999147_558078420950204_947170704_n      ”O Blues sempre esteve ligado à cultura afro-americana, especialmente aquela oriunda do sul dos Estados Unidos. Os escravos das plantações de algodão usavam o canto, nas chamadas “worksongs”, para embalar suas intermináveis e sofridas jornadas de trabalho, as quais são uma das origens dos “blues”. São característicos seu ritmo, sensual e vigoroso, quanto a simplicidade de suas poesias que basicamente tratavam de religião, amor, sexo, traição e trabalho (…) A cena, que acabou por tornar-se típica nas plantações do delta do Mississippi, era a legião de negros, trabalhando de forma desgastante, sobre o embalo dos cantos, o blues”

Adaptação minha, para o texto encontrado na Wikipédia.


São muitos os detalhes a serem falados sobre o blues, com muitas nuances, mas vou me ater ao principal: o blues é a matéria prima de milhares de estilos, e se não é a base, é um ingrediente fundamental, e está diretamente ligado ao rock. Uma figura importante, e primordial, foi Robert Johnson, que teve seu período de atividade entre 1929 à 1938, gravou por volta de 40 canções apenas, mas que foram a base e formaram os padrões de tudo após, sendo regravadas e tocadas maciçamente até hoje, por músicos de blues e rock. Até mesmo a estética ”maléfica” do rock, tem relação com ele, e sua clássica lenda, ter vendido a alma ao Naldo Benny ( sinônimo de capiroto ), numa encruzilhada ( yes, baby! A canção ”Crossroas”, é dele! ), em troca da habilidade ao violão. Uma explicação que acho importante, é quando a forma de sua harmonia ( que funciona num jogo de pergunta e resposta ), tendo base em 12 compassos muitas vezes ( 12 Bar Blues ), e seus ritmo, conhecido como ” Levada do Trem ” ( não, não é uma menina safadinha, que fica num trem se esfregando nos homens ). Os escravos eram transportados assim, e ouviam o som dessas máquinas de ferro sobre os trilhos, constantemente, então passaram a utilizar tal rítmica em seus instrumentos. Simples, não? Mas tal simplicidade, foi ganhando com o tempo, mais melodias nas mãos de Eric Clapton, Peter Green, B.B. King e Albert King, mais peso e pegada, nas mãos de Johnny Winter, Jimi Hendrix, ZZ Top e Rory Gallagher, mais virtuosismo nas notas emitidas pelas guitarras de músicos como Gary Moore e Eric Johnson, e sofisticações e novas influências , nos arranjos do The Allman Brothers Band, Robben Ford, e Joe Bonamassa. Eu sustento a ideia de que, quem não gosta de blues, automaticamente, não gosta de sexo, não gosta de namorar, não gosta de se emocionar, não consegue sentir o sabor de uma entrega. Blues é a pura expressão das dores e amores ( e seus desamores ), e de sensualidade, sem vulgaridade ( tão difícil hoje em dia, não? ). Para fechar, trarei exemplos, mas bem diferentes do habitual: o primeiro vídeo, possui um blues tradicional, ( música de Robert Johnson, regravada por Eric Clapton ), com esse jogo de ”pergunta e resposta” já citado, e com a seu ritmo característico. E logo em seguida, músicas de rock clássico, hard rock, e até metal, descaradamente influenciadas pelo blues, além de uma lista de 30 músicas clássicas e atuais de blues, que servirão como um mapa, para te ajudar a conhecer mais sobre tal estilo. Da mesma forma, que para conhecer bem uma pessoa, você precisa entender e enxergar a alma dela, para entender boa parte do que é tocar guitarra com sentimento e paixão, é necessário conhecer o blues e sua alma. O blues é como o amor. Não se vê e não se explica: se sente! 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • The Hunter – Albert King
  • Texas – Eric Johnson
  • Worry – Free
  • Still Got The Blues – Gary Moore
  • Blues Deluxe – Jeff Beck
  • Sloe Gin – Joe Bonamassa
  • Texas Flood – Stevie Ray Vaughan
  • Old Love – Eric Clapton
  • Blue Jean Blues – ZZ Top
  • Mother Earth – Gov’T Mule
  • Out of My Mind – John Mayer
  • Bell Bottom Blues – Derek And The Dominos
  • Stormy Monday – Allman Brothers Band
  • Somehow, Somewhere, Someway – Kenny Wayne Shepherd
  • Do I Look Worried – Tedeschi Trucks Band
  • The Thrill Is Gone – B.B. King
  • Another Kind Of Love – John Mayal and Bluesbreakers
  • Since I’ve Been Loving You – Led Zeppelin
  • Off The Handle – Rory Gallagher
  • When My Train Pulls In – Gary Clark Jr.
  • Red House – Jimi Hendrix
  • Hard to Cry – Blind Faith
  • Lazy – Deep Purple
  • Bridge Of Sighs – Robin Trower
  • Love is Vain – Rolling Stones
  • Don’t Let Me Be Misunderstood – Robben Ford
  • It’s My Own Fault – Johnny Winter
  • Tore Down House – Scott Henderson
  • Damn Right, I’ve Got The Blues – Buddy Guy
  • Maybe This Time – The Derek Trucks Band

 

Anúncios

Sobre hericksales

Guitarrista, professor de guitarra e violão a 11 anos.

Publicado em 5 de agosto de 2014, em Música e marcado como , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 5 Comentários.

  1. Naldo Benny = Capiroto
    Herick Mitando…

    Curtido por 1 pessoa

  2. Excelente playlist!
    Compartilhado!!! 😀

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: