Aprenda a andar antes de correr! Fraseando antes de fritar!

07_20RTF_20-_20Frank_20Gambale_20_Photo_20by_20Martin_20Philbey__20110503_100345_span9

    Eu gosto de solos rápidos. Muito. De verdade! Acho que virtuosismo bem empregado faz parte da música sim, e pode gerar um feeling absurdo, mas, nem só de mil notas por segundo há de viver um músico. Vamos pensar num palestrante que fala rápido, com propriedade sobre um assunto, sem dar pausas para pensar. Para fazer isso, ele mescla intensidades na voz, velocidades de fala, e principalmente, conhece bem o assunto! Trazendo para guitarra, quantos guitarristas tocam uma frase rápida, mas não a compreendem, não sentem seu sabor? Quantas vezes nós mesmos não fazemos isso? Uma frase, ideia, ou tema rápido precisa ser lançado e acelerado à partir de ti, tendo o seu controle, e não sair desenfreado, como notas que batem na parede. Certa vez li o mestre Frank Gambale falando sobre frases e ideias de guitarra, que se elas soam legais lentas, provavelmente soarão bem rápidas. Então, nesse raciocínio, porquê não aprender a frasear primeiro, sentindo cada nota, para acelerar com consciência? Vou contar algo pessoal: quando comecei a tocar, estudar escalas e princípios básicos para solos, eu fiquei fascinado pelo som do Whitesnake, e vi que os solos que mais me impressionavam era do John Sykes, pois ele era pesado, e tinha uma técnica incrível!

 John_Sykes_1984   Mas eu só conseguia entender as melodias bonitas, o resto soava  de outro mundo para mim. Fui conseguindo compreender que eram as escalas com padrões, palhetadas, ligados, mas achava legal, pois mesmo rápido fazia muito sentido. Em contrapartida, eu era apaixonado pelo som do Mark Knopfler, do Dire Straits, e comecei a curtir muito o som de bandas como Deep Purple, Queen e Pink Floyd, que possuíam solos menos velozes, e enfoque na interpretação de cada nota. Então como não conseguia ainda tocar rápido, fui tentando tocar as coisas mais melódicas, ouvi e busquei absorver, improvisando muito sobre as músicas dos mesmos. Sem querer, fui compreendendo o que tanta gente falava de fraseado, e com o passar do tempo, ao ir melhorando gradativamente a parte técnica no que tange trechos velozes, fui tentando mesclar como passagens. Aí sim, pude entender o que eu ouvia nos discos do Whitesnake, Van Halen, Satriani e Pantera: por mais técnica que houvesse ali, o fraseado melódico, com ideias concisas, e bom senso no emprego das mesmas estava ali. Eles e tantos outros dominavam o instrumento, e não ao contrário. Eles não saíam tacando os dedos na escala da guitarra a troco de nada. Todos esses grandes músicos aprenderam a andar antes de correr. A frasear antes de fritar.

    Busque aprender a frasear, brincar com as ideias interpretativas, e compreenda a frase que está estudando, as técnicas empregadas, e o desenvolvimento melódico, antes de sair explodindo com ela pela guitarra. Compreender sua estrutura, te permitirá explorar variações da mesma e criar mais vocabulário para seu fraseado, e te dará gabarito para tocar como bem entender.

Anúncios

Sobre hericksales

Guitarrista, professor de guitarra e violão a 11 anos.

Publicado em 25 de agosto de 2015, em Música e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Isso me define kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk exatamente

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: